A Fábrica Bhering, instalada desde os anos 1930 no bairro da Gamboa, na zona portuária carioca, viu seu apogeu e declínio ao longo das décadas, até que, a partir de 2010, tornou-se um importante polo de produção de arte e cultura.

A ocupação do espaço deu-se de forma orgânica, pelo boca a boca dos próprios artistas que, descontentes com os altos preços para locações na cidade, encontraram uma forma de baratear custos e criar uma rede artística, onde a colaboração é a alma do negócio.

A fábrica, que já foi uma das maiores do país, especialmente pela produção e exportação de café, e por ícones populares, como as balas toffee e Boneco, também atrai por sua arquitetura diferenciada. O amplo projeto guarda curiosidades, como o fato de toda estrutura metálica que sustenta a edificação, bem como as máquinas de última geração àquela época, terem vindo de navio desde Hamburgo, na Alemanha, após a compra dos ativos de uma indústria de chocolates que havia fechado as portas. Áreas de destaque, como o terraço, que descortina uma vista que cobre todo o Centro do Rio e até mesmo Niterói; e o belo Pombal, área de pé direito altíssimo e muito bem iluminada pelas janelas que ladeiam todas a edificação, e que já serviu de set para inúmeras gravações, como a atual abertura do programa dominical Fantástico, da TV Globo; são pontos altos do passeio pela Bhering.

Com uma área construída de mais de 15 mil metros quadrados há cerca de 80 ateliês de arte funcionando a pelo vapor. Dividindo espaço com maquinários centenários em uma planta fabril que ocupa todo um quarteirão, há ceramistas, designers, produtores, artistas plásticos, livreiros, gastrônomos, artesãos, fotógrafos, lojistas, trapiches de móveis e até uma pequena fábrica de cerveja artesanal. Com esquemas de visitação que variam das portas abertas ao agendamento prévio, é possível chegar à Rua Orestes 28 e seguir por um passeio completo pelos cinco andares da Bhering. Mensalmente, acontece o Circuito Interno, evento que une arte, música e gastronomia para que o público conheça a fundo a dinâmica dessa grande fábrica de arte e cultura.

Bhering na abertura do Ateliê das Artes

Bhering

No primeiro andar logo à esquerda de quem entra, “MEU BB” – Galeria de Arte Sergio Jopper, curadoria Márcia Marschhausen

Várias telas: Marcia Maia, Diogo Santos Bessa e Renan Henrique de Carvalho, Angela Lemos, Leticia Mercier, Andres Papas, Regina Marconi, e Rodrigo Saramago, colaborador da Rio Informal, com sua escultura Equilibristas (da série Os Equilibristas – Rodrigo falará mais desta série na www.rioinformal.com ).

Rodrigo Saramago, com Lilian Maffei, da Rio Informal

 

Ainda no primeiro andar A CEVADERIA – nasceu em 2012, no Rio.  Uma cervejaria artesanal, com copos lindos, kits legais e vários sabores.

O projeto nasceu da reunião de quatro amigos, cientistas, dedicados a fazer da cervejaria um momento de encontro.  

Objetivo: fazer a seleção criteriosa dos ingredientes, a pesquisa científica das receitas, trabalhar o líquido até deixar a mágica da fermentação acontecer.

E por aí começa a história da CEVADERIA.

Opa, uma montagem! Vários jovens ex-alunos da UFRJ – EBA criando e pintando em um espaço para novos artistas – OFICINA DE EDUCAÇÃO Amamos incentivar os iniciantes! Parabéns a todos! Estavam lá: Anne Carestiato – figurinista, Raphael Elias – cenógrafo, Flávia Coelho – atriz e performance, Manuela Azevedo – Jornalista e dona da marca Cada Vez Mais Mulher (papelaria), Clara Garriano – figurinista, atelietoca@gmail.com.

In Sana Design Industrial – Um luxo! Uma criatividade perfeccionista. Resgatam sucatas e transformam em lindos artigos de decoração. Ainda tem um barzinho todo feito por eles, muito chic. insanadesign.com.

Rafael Vicente – Curadoria Marcus de Lontra Costa

Rafael mergulha com a precisão, cria estruturas e movimento.

 

“Pintar é, portanto, muito mais que um desafio. É um ato de coragem, enfrentar e confrontar-se com a história”.

Rodrigo Pedrosa, lá no quinto andar.

 

Técnica Cerâmica e acrílica. Lindas esculturas e telas a seguir: (Facebook: rodrigopedrosa.arte)

 

 

Lucio Volpini, com suas miniaturas deslumbrantes. Que precisão! Só vendo para acreditar. Nas telas, as miniaturas ficam em pé, dando a sombra, aí só pessoalmente. (lucio.volpini@terra.com.br)

Helio Ferreira – artista visual, dando um show na tela com pintura em chocolate. 

Técnica mista de acrílica e chocolate sobre papel ou tela. (heliomdf@uol.com.br).

E, no vídeo conta a história de sua família com a fábrica Bhering.

 

Bel Magalhães – Artista Plática. (belcbm@gmail.com)

Lindíssimos painéis são pintados na parede, com tinta acrílica.

Técnica chama-se Tromp L’Oeil. Em francês quer dizer “engana olho”. Lógico, jura-se que é verdade. Você entra pela tela e sente o mundo que la te passa.

 

Daniel Lannes– artista plástico que, com muita honra, fará parte da equipe de colaboradores da Rio Informal.

Ateliê em montagem, e Rio Informal esperando por ele. Isso é que é uma mesa de pintura. Ele tem três destas ali, telas imensas ainda em branco e um belo sofá, que dá vontade de ficar ali observando Daniel executar sua arte.

DANIEL LANNES com Lilian Maffei, da Rio Informal

 

Kit Duarte– Diretora de Arte – no espaço FEIRA. (facebook.com/feiranafabrica28) e (instagram.com/feiranafabrica)

Linda loja de objetos de casa, moda e decoração, até plantas comestíveis.  Encontra-se de tudo com muito bom gosto. Difícil saber para onde olhar.

Kit reúne, num belo espaço, artistas e designers presentes na loja Feira. Vale conferir e comprar: Verônica D’orey, Isabel Jaguaribe, Fernanda Pinto, Carina Bokel, Sérgio Menezes com os móveis de madeira , Roberto Homero, Adilson Figueiredo, Martina Bollentini , Paula Kossak, Henrique Clark, F Studio, Yuli Anastassakis, Fecula, Carol Amorim, Mária Suculeria, Priscila Cadena, Fernando Machado, Christine Goes, Anna Dantes, da Editora Dantes, Domênico, Cecilia Alvim da Oryba, Felipe Varella, Paisagismo Comestível, Bruno Zsoltz, D’laurents, Mário Burichi, Angela Brito,  e outros…..

TARSILA– fábrica e loja de sapatos, bolsas, carteiras, tudo na medida certa. Cores da estação e vontade de levar a coleção toda para casa.

 

Rua Orestes 28, Santos Cristo – Rua Visconde de Pirajá, 414 – loja 207

Agradecemos a todos os colaboradores que apostaram desde o início que que fazem parte desta estrada.

A Equipe da Rio Informal.

Scroll Up