….no meio do caminho, sudeste, Brasil. Uma mulher que amanheceu a vida com Poesia. E com ela segue pelos entardeceres.

Eliana Mora nasceu no Rio de Janeiro, filha de imigrantes. No momento reside em Juiz de Fora-MG. Seu pai escrevia e musicava poemas.  Ele costumava dizer que “ser poeta é uma coisa que nasce com a gente”.  Eliana frequentou, a partir dos cinco anos de idade, o Curso Olavo Bilac, de Maria Sabina de Albuquerque, no Rio.  Sem ainda ler, decorava poesias lidas pela sua mãe. Recebeu diploma de mestre na “Arte de Dizer” aos 17 anos, em recital individual.  Formou-se em Jornalismo. Como jornalista, começou em revista, foi para o Rádio e teve programa na TV Educativa do Rio de Janeiro. Cobriu eventos e realizou matérias, no Brasil e no exterior, para revistas da área médica.  Fez Assessoria de Imprensa. Deu aulas em Universidade e ministrou Cursos de Extensão.   Na poesia, ministrou palestras e cursos de voz, bem como de Interpretação do Texto Poético.  Integra o MIP (Movimento Internacional Poetrix), tendo participado de antologias do grupo. Tem vários poemas publicados em sites literários, no Brasil e em Portugal.  Publica seus poemas nas Redes Sociais e nos seus três blogs:  “Poesias Dedicadas“, “Lirio Deserto” e “Em Tres Linhas”,  atualizados diariamente. Participa de várias antologias dos grupos luso-brasileiros: “Escritas” e “Amante das leituras”. Em 2017, participou da antologia “Juiz de Fora ao Luar”. Faz parte do grupo “Café com Poesia e Arte”. Em 2003, publicou seu livro solo de poemas “Mar e Jardim”, pela editora Papel & Virtual, Rio de Janeiro, com 125 poemas.

Faquir cego

Sozinha semeando meu jejum permaneci durante anos sem reparar que cada dia representava um prego a mais na mesa do faquir Eliana Mora, 28 de janeiro de 2000 In: Mar…

OBRAS DE ARTE E TEXTOS Apenas um sonho. Por isso mesmo coberto de mistério. Lírico, quase espiritual. Lendário. Profundo e sensível. Obra que tonteia. Não passa sem chamar atenção. Escorre,…

Sufoco elementar Algo na garganta quase a afogar. Não vem respiração  não completa não irriga [tudo vira sertão] Eliana Mora, 28/01/2018   (por www.rioinformal.com/eliana-mora/)

OBRAS DE ARTE E TEXTOS Ancorado? Ou meio perdido, sem querer? A beleza e o tipo diferente da embarcação nos fazem querer saber…mas vale mais imaginar, mesmo. Acabou o tempo?…

SENSAÇÕES PARABÓLICAS A luz do porto parece que me hipnotiza fica parada com pensamento fixo e ali toda minha vida armazenada num container se esconde da luz . E o…

O PODER DE UMA FORÇA Enquanto sua vida declinava naqueles instantes em que sua força parecia lhe faltar ela pôde vislumbrar o que queria distante estava e no entanto em…

COMO É BOM SABER TROCAR DE INSTRUMENTO A velha harpa luta para desfazer-se de amareladas pautas para beijar o novo o improviso sons que possam espalhar-se pelos ares sem que…

UM ENCONTRO MUITO ESPECIAL   A estranhar a falta o excesso quem dera pudesse ele habituar-se ao mínimo progresso [sentidos mais apurados] … Parar de olhar em volta levantar-se e…

  JAMAIS O DERRADEIRO PASSO Uma terra estrangeira ganha espaço no ventre do meu corpo como se meu país não me quisesse mais como se hoje eu não mais me…

QUASE UM BRANCO DE CÉU Quase nenhuma flor nos arredores do olhar de repente um céu com a brancura de um completo, inteiro e solitário pedaço de papel sem dobras…

OBRAS DE ARTE E TEXTOS Monet podia tudo? Podia sim, até fazer paisagens fora de foco? Não sabia. Até encontrar essa, tons azuis. à primeira vista a lembrar algo meio…

SOU Princesa por fora. Dentro de mim : princípio. Eliana Mora, Janeiro/2003 [Baú] (por www.rioinformal.com/Eliana Mora/)

A FORÇA DA AQUARELA As escadas de uma dor  são circunflexas caracoleiam em tua cabeça circunvagueiam em parafuso  no teu pensamento como fossem telas abstratas  de um pintor meio esquecido…

Agonia nuclear 

Eliana Mora. (Foto de Ana Maria Mendes Másala) Atingiu-me aquele míssil fez-me tremer e pensar ao sentir como espetava tamanha dor nuclear que ardia e que pendia de dentro  de …

Recado Preciso

Eliana Mora. (Foto de Ana Maria Mendes Másala) Em torno de mim, o laço. De roda em roda chego em algum pedaço de luar Pode ser assim que lá acabe…

Procura-se um chão de estrelas

Eliana Mora. (Foto de Ana Maria Mendes Másala) Vivia eu despida de dourado no meio de um palco sob penumbra colocado sonhando com a lua que furava o zinco do…

Em tudo, sempre, Poesia

Eliana Mora. (Foto de Ana Maria Mendes Másala) Jamais me recusei queria sim aprender fazer vibrar em minha vida as mesmas notas dos pássaros que ouvia em seus ensaios sob…

E eu nem era um cravo.

Eliana Mora. (Foto de Ana Maria Mendes Másala) A rosa cor-de-rosa olhou-me fixamente como se descobrisse de repente  a alma gêmea E foi assim que para casa levei  mais uma …

Um passeio de Amor

Eliana Mora. (Foto de Ana Maria Mendes Másala) O ramo perdido estava ali. Me perguntei se por acaso ele queria voltar ao jardim ou se nem estava assim… tão perdido…

Lago Dourado

Eliana Mora. (Foto de Ana Maria Mendes Másala) “Lago dourado” já foi título de filme. E poderia ser dessa tela aqui, sem tirar nem pôr. Imagina cada um de nós…

De saudade e poesia

Art__klimt De saudade e Poesia Em ti, sempre penso. Contigo, sempre estou. Nos tempos em que decorava suas músicas e poemas. Seus deveres de amor  seus teoremas de flor. Um…

Obras de Arte e Textos

Uma história que poderia começar assim. Um passeio, o mar, um mistério. Nada de tão dramático. Mas belo. A jornada pela montanha que dá no mar. O silêncio. E todo…

Terceira Visão

  descobri   que o infinito   onde repousam todos os   mistérios e oásis   tem filial:   teus olhos      Eliana Mora, 07/11/2006    www.rioinformal.com/eliana-mora/)

P a l a v r a s

 Palavras  podem estar debaixo de alguma nuvem a cantar junto com pássaros a se transformar em gotas    que vão plantar pelos vales tapetes de brilho úmido ou olhos. de quem…

Comissários de Bordo

Eliana Mora. (Foto de Ana Maria Mendes Másala) Espalhados pelos cantos meus sonhos sobrevivem insistentes eles sabem o peso que têm na carga de esperança que carrego dentro em mim…

Cegueira 

Eliana Mora. (Foto de Ana Maria Mendes Másala) Meu corpo em luz parece f l u t u a r como garrafa transparente em pleno mar inchada grávida de bilhete…

Quase realidade

Eliana Mora. (Foto de Ana Maria Mendes Másala) Vi um desencanto em feitio de vitral a desenhar penumbras por toda a minha face Eliana Mora, 18/9/2013 (por www.rioinformal.com/Eliana Mora/)

Obra de Arte e Textos

Eliana Mora. (Foto de Ana Maria Mendes Másala) Enquanto a lágrima do céu se espalhava sobre o mar, tudo se calava. O murmúrio que parecia ficar, apenas era circunstância —…

Obra de Arte e Textos

Um castelo desabitado? Será o ‘castelo’ das nossas ilusões? Ou o refúgio momentâneo    de pensamentos? Pode ser a morada de um ser que se desiludiu com a civilização? Que…

Ele nasce de um amor desconhecido

Quase indestrutível intradérmico intravenoso  o poema dorme em feitios sagrados de noites  e de dias túrgidos qual mucosa de mulher apaixonada uma placenta nas diferentes conchas detentoras de sentidos  e…

Obra de Arte e Textos

Eu canto. Lilás, mas não da cor do mar. De dentro da canção, do fundo, sem pensar.  Sentimento subiu à pele. Deixei rolar. E quando encosto os olhos de novo…

Entre duas árvores

Terminei por fazer a casa por ali   era como um porto:   já de há muito conhecido de mim   os dias passam assim   escorrem com o vento…

Reverência

Eliana Mora. Foto de Ana Maria Mendes Másala Alinho-te todo em mim _ e rezo. Porque não bordo. Nem sei pintar. Eliana Mora, abril/2005    (por www.rioinformal.com/eliana-mora/)

Obra de Arte e Textos

O que pode haver de tão belo nessa obra? A moça se vê, e se maravilha com o cordão que experimenta. A beleza e a graça já são dela, e…

Obra de Arte e Textos

Um ‘porto’ da natureza. Península. Começa e termina em si. Talvez como todos nós, de fato. Ali o mar e a terra se confundem, se completam, se ajudam. Como todos…

Obra de Arte e Textos

Uma paisagem desenhada nos tons de Van Gogh. Será que alguma vez tivemos algum devaneio desses? No meio, um caminho. E um casal a passear pela bela passagem criada ali.…

A graça do que podemos 

Muitos sentem [quase todos dizem] que vivemos num tempo servil um tempo hostil onde saímos sempre a procurar aquela alma bondosa um sorriso um gesto delicado um arremedo de valsa…

O que se tem e o que se quer

Em dias assim jamais pediria eu para entender ou para que alguém me explicasse ao contrário ficaria a esperar por uma onda de melhora de céus e mares azuis e…

Como se fosse pássaro

Um jardim imaginário como um pequeno muro suave bonito revolucionário a proteger não a separar a fazer assim prevalecer o amor a igualdade Flor pode chegar não importa tua nacionalidade…

Kyrie

K y r i e As vias do meu corpo dutos esvaziados de emoção choram Onde? Onde todos os anéis do meu saturno? onde as reverências referências às mais belas…
Scroll Up