O QUE JOÃO HÉLIO, MARIELLE e S. HAWKING TEM EM COMUM?

Não. Ainda não enlouqueci apesar da realidade dos fatos estar colocando minha sanidade física e mental à toda prova com os últimos acontecimentos. Mas, compartilho com você agora, uma análise destes fatos a partir do pensamento complexo e realizo uma reflexão, uma confissão e um convite.Poderia voltar dois mil anos atrás para falar da cegueira humana que nos leva a atos bárbaros mas serei mais contemporânea. Diferente do pensamento científico que problematiza o fato, utilizo o método do pensamento complexo, de Edgar Morin para refletir sobre a realidade. De modo que ao invés de problematizar eu vou complexificar os fatos. Voltarei apenas a 2015, quando da morte do menino João Hélio, de seis anos, que foi arrastado preso por um cinto de segurança do lado de fora do carro, enquanto o carro era dirigido por bandidos.

Naquela época, eu fiquei extremamente abalada com essa morte. Desolada. Ao lado da dor daquela mãe que meu coração podia sentir de longe, minha mente pousava naqueles delinquentes. Pensei: “isso só pode ser possível por jovens perturbados. E de repente pensei: Jovens que tem idade para serem meus alunos. Deve haver algo que eu possa fazer.”

A vida seguiu com essa inquietação em minha mente. Vários projetos sobre educação emocional foram elaborados.

Dentro da minha atuação, professora de Educação Física, conduzi um estudo ligado a criação de uma Comissão do Jogos Internos do CPII, fundamentado no conceito de Fair Play. Sempre achei os jogos e as competições um palco perfeito para educação emocional x comportamento.

No entanto, a ausência de um medidor para emoção impedia que se investigasse, cientificamente, essa relação entre comportamento e emoção mesmo dentro da formação como psicóloga. Por conta disso, as pesquisas relacionadas ao comportamento evoluíram muito pouco para além do condicionamento operante de Skinner.

Até que, de uma forma empírica, eu começo a observar uma mudança de comportamento dos meus alunos por conta da Meditação Laica Educacional (MLE®) – protocolo para professores da educação básica usarem em sala de aula para conduzirem sua turma ao estado meditativo  – sem a necessidade do velho reforço positivo X punição e de forma praticamente imediata!

E, repito, sem a necessidade de punição comecei a perceber e pesquisar a mudança de comportamento que se operava nas turmas meditadoras laicas. 

Punição também que vem a fundamentar, quer aceitemos ou não, a razão lúcida das pessoas que planejaram o crime tão violento e covarde quanto o de João Hélio, dessa vez contra a vereadora Marielle Franco, ou seja, punir. 

No caso de João Hélio o crime praticado foi provocado provavelmente por garotos deseducados com mentes perturbadas por drogas pesadas. Se as razões para o crime contra João Hélio e Marielle são tão diferentes o que há em comum com Stephen Hawking?

“O fracasso humano que eu mais gostaria de corrigir é a agressão” S.Hawking, Londres, 2015

Hawking, coloca o comportamento agressivo lado a lado com o desenvolvimento da tecnologia, como potenciais destruidores da humanidade. E ele não está sozinho. Na outra ponta, o filósofo Jacques Dellors, em seu prefácio ao livro escrito pela Comissão Internacional para uma Educação para o século XXI, escreve,

Compete à educação a nobre tarefa de suscitar em todos, segundo as tradições e as convicções de cada um, no pleno respeito do pluralismo, essa elevação do pensamento e do espírito até o universal e, inclusive, uma espécie de superação de si mesmo. O que está em jogo, e a Comissão tem plena consciência das palavras utilizadas é, a sobrevivência da humanidade.”

Ainda nesta obra lemos:

  • É certo que há muitos outros problemas a resolver, chegaremos lá. Mas este relatório surge numa altura em que a humanidade, perante tantas desgraças causadas pela guerra, pela criminalidade e pelo subdesenvolvimento, hesita entre a fuga para a frente e a resignação. Vamos propor-lhe uma outra saída”                                  ” …é preciso começar por se conhecer a si próprio, numa espécie de viagem interior guiada pelo conhecimento, pela meditação e pelo exercício da autocrítica.”

A necessidade de uma mudança de comportamento agressivo diante do diferente, em raça, em credo, em cor e em pensamento é uma tarefa da qual a Educação não deve se furtar, ao contrário, priorizar.

E isso não se dará pela via do aprendizado mental que, como vimos diante da lucidez demonstrada para realizar um bom planejamento, a mente é capaz de encontrar justificativas e criar lógicas para comportamento agressivos que acabam por justificar até mesmo guerras, em pleno 2018.

Minha experiência em sala de aula, respaldada pelo conhecimento neurocientífico, por filósofos, psicólogos e por uma prática milenar dedicada a evolução humana, indica como podemos mudar nosso comportamento sem a necessidade do binômio reforço positivo X punição mas pela via da experiência emocional.

É isso que tem sido comprovado através da Meditação Laica Educacional®.Vejo surgir diante dos meus olhos na sala de aula comum, com alunos comuns, um comportamento respeitoso, afetuoso, um brilho nos olhos. A MLE® é amorosa. É uma prática de amor, protocolada. Estamos tão reativos que precisamos partir de um protocolo para ativar a vibração amorosa. Um dia poderemos abandonar o protocolo mas por ora ele é útil e pertinente. 

Se conhecesse um professor, indique. Meditar, na forma laica com didática e amorosa pedagogia, educa emocional e comportamentalmente como nenhum discurso até deu conta. Já há uma forma de começarmos a corrigir o que Stephen Hawking, chamou de fracasso humano. Medite.

VEJA MAIS

Moqueca de frutos do mar com banana d’água.

Esse post é muito legal, pois saiu de uma adaptação, estava na casa de amigos e decidimos fazer uma moqueca com banana da terra, mas não achamos para comprar, então resolvi fazer com banana d’água e foi o maior sucesso, pois a banana d’água se desfaz e deixa a moqueca ainda mais cremosa, ficou muito boa! Segue a receita para vocês se aventurarem e provarem essa delicia. 
Ingredientes:
5 dentes de alho triturado
2 colheres de sopa de dendê 
3 cebolas roxas em meia lua
2 pimentões amarelos em rodelas
2 pimentões vermelhos em rodelas
4 bananas d’água 
600g de tomate pelati
600ml de leite coco
300g de filé de cherne 
300g de lula
300g de camarão
300g de polvo cozido
200g de mexilhão na concha pré cozido
2 cavaquinhas abertas ao meio
Coentro a gosto
sal e pimenta a gosto
Em uma panela refogue todas verduras e adicione a banana em cubos, em seguida coloque os frutos do mar menos o peixe e a cavaquinha adicione o leite de coco e o tomate pelati, sal, pimenta e o coentro misture devagar e deixe cozinhar por 5 minutos, adicione os filés de peixe, cavaquinha com a casca para cima e os mexilhões. deixe cozinhar até a carapaça da cavaquinha ficar na cor laranja. 
Agora é servir com um arroz de coco queimado e uma farofa de cebola com dendê. 
Vai fazer sucesso.
Até a próxima 

(por www.rioinformal.com/Juca Paes Leme/).

Lua Nova em Sagitário e Mercúrio Direto

Enquanto a Lua vai decrescendo em seu caminho para mais um encontro com o Sol, já estamos em dezembro e nos preparando para as festas de final de ano. Esta última fase do ciclo lunar, ou Quarto Minguante, é favorável a esse momento por induzir menos às atividades externas. No último quarto, a energia vital se recolhe interiorizando-se, propiciando atitudes mais calmas e reflexivas. Isto pode ser benéfico neste primeiro momento de preparações para o fim do ano. Mas só até 5ª feira, pois na 6ª, dia 07/12, já teremos o momento de encontro da Lua com o Sol (05:21 hs AM) – ou Lua Nova, em 15º07’ de Sagitário. Um novo impulso surge, trazendo oportunidades de novos começos. Este é o momento mais propício para se iniciar novos projetos e colocar idéias em ação. Na Lua Nova há mais chances de progredir porque ela traz o impulso de uma nova proposta e, em Sagitário, signo de Fogo, planta uma semente de otimismo e fé na vida, vontade de empreender. O signo de Sagitário já está bastante mobilizado com a presença de Júpiter, o seu regente, que está de volta ao seu signo. Sendo Júpiter um planeta de expansão, que busca ampliar seus horizontes, a força de iniciativa da Lua Nova vem se beneficiar e se somar à força dele.

No entanto, a configuração celeste que se forma nestes próximos dias, e que abarca a Lua Nova do dia 07/12, delineia uma situação que pode confundir as iniciativas: Sol/Lua em Sagitário e Marte/Netuno em Peixes – e portanto em quadratura, que é um aspecto tenso. Se, por um lado, a vontade de agir e empreender surge forte, por outro há um clima de dispersão que prejudica a definição de objetivos, necessária para que se trace um caminho. Não que isso iniba as iniciativas da Lua Nova, mas dificulta sua execução pois enganos e confusões são possíveis de acontecer. As ações podem também ser afetadas pelo desânimo e pelo desalento, havendo muita demanda e excesso de atividades por um lado, e falta de disposição para cumpri-las por outro. Este clima de indefinição e dificuldade de foco gera tensão e cansaço. Neste contexto de sensibilidade, em lugar de insistir e não ver resultado, melhor será tentar perceber no clima geral quando atuar e quando não atuar, pois a percepção sensível é que estará predominando. A ação deve ser indireta e as coisas podem funcionar mais por inspiração e ideal do que por questões pessoais, através de um anseio mais coletivo do que individual. Surtirá efeito quando o objetivo levar em conta ou for a favor de um ideal coletivo, atuando por uma causa que ultrapasse os próprios interesses. Mas com a quadratura Sol/Marte há necessidade de questões pessoais também envolvidas, daí a dificuldade de se juntar e atender a todas elas. Porém, o contexto frio e úmido de Marte/Netuno em Peixes deve predominar, em favor das questões coletivas. No entanto, as duas tendências – de iniciativa pessoal ou visando o coletivo – podem coexistir, alternando-se. E podem gerar conflitos também. O céu é um todo mas cada um de nós o vivencia mais em um ou em outro aspecto. Isso vai depender da interação com o nosso mapa natal.

Ainda sobre a configuração da Lua Nova, a criatividade estará presente e os assuntos ligados à arte também. As ações vão depender mais da sensibilidade e da criatividade.

Uma notícia benfazeja é que Mercúrio, que estava retrógrado, retoma o movimento direto no dia 06/12, trazendo fluência e desenvolvimento, mais clareza nos contatos e nas comunicações, com um foco objetivo e externo. A este clima de dispersividade, Mercúrio direto vai se contrapor agilizando as comunicações, a burocracia e as idéias, tornando estas últimas mais claras, congruentes e espontâneas. Com certeza isto irá contribuir favoravelmente para uma melhor compreensão e condução deste momento.

Em 03/12/2018

Angela Nunes

(por www.rioinformal.com/angela-nunes/)

Olé Madrid!

Mais uma vez chegamos já no 2º tempo, Brasil x México, a tempo de ver o 2º gol. Já era tarde e estávamos todos com fome. Tinha na lembrança um prato chamado “solomio”, um bife alto de ternera. Fui até um restaurante bem simpático todo decorado com coisas e fotos do Atlético de Madrid, estamos perto do estádio Vicente Calderón, matei a vontade, acompanhado de uma tacinha de vinho espanhol, um Ribeira del Duero, simples mas ótimo. Como a viagem foi bem cansativa, aproveitei pra descansar e pela manhã saborear o desayuno com presuntos tipo “Pata Negra”, frutas, em especial a laranja maravilhosa, e tudo mais. Engraçado que depois de tantos anos e tantas vindas, Madrid não é uma cidade que eu conheça bem. De qualquer forma, saímos pra uma volta a pé e logo estávamos no centro histórico, com vielas, escadas e becos bem legais. Por todo lado grupos de visitas guiadas e gente desfrutando do sol que estava bem quente. Volta e meia passava por senhores locais com seus aromas de charutos e cigarrilhas, bem típico. Dobrando uma esquina nos deparamos com um pátio espanhol tradicional da arquitetura merengue. Estátuas por todas as praças e jardins. Muita gente nas ruas olhando o comércio e tirando fotos, alguns ambulantes prontos pra recolher suas mercadorias e fugir da polícia, caso apareçam. Mais adiante, quase em frente à saída do metro Ópera, uma grande sala de concertos. Em seguida, os jardins do Palácio Real, o maior da Europa, com cerca de 225 quartos, tudo muito bem conservado. Ao lado, fazendo parte do mesmo complexo, a Catedral de Santa Maria la Real de la Amudena, filas pra visitar. O bairro do hotel sofreu uma grande reforma a alguns anos que transferiu as grandes pistas de carros para um túnel subterrâneo de mais de 12 KM e criou grandes jardins em cima. Bem bacana!!! O show foi numa casa noturna (La Riviera) nesse parque e a animação espanhola junto com muitos brasileiros foi grande. Jantamos por lá mesmo, sempre com vinhos espanhóis ótimos. Na ida pro aeroporto, o motorista do ônibus foi dando dicas da cidade e da cultura local cheio de orgulho. Gracias

(por www.rioinformal.com/leco-possollo/)

CULTURA LIVRE E TECNOx 4.0

Tem acontecido encontros no nosso continente latino para divulgação de Cultura Livre,Tecnologias Livre, Ciência Aberta e Cidadã e o ambiente digital.

O site Em Rede tem nos ajudado a acompanhar. Entre 21 e 23 de novembro último, aconteceu o 1º Encontro Online de Cultura Livre do Sul, com bate-papo onlile e apresentações de diversos projetos e proposições sobre o que se necessita para aprofundar, defender e expandir a cultura livre refletindo sobre tecnologia, política e sociedade. O Em Rede disponibilizou o link Videoconferências do 1º Encontro Online de Cultura Livre do Sul por onde é possível observar as discussões e proposições do encontro.

No Em Rede está agendado mais um evento nessa direção. Propondo-se a refletir sobre o uso das formas permissivas de disseminação do conhecimento científico e tecnológico e suas aplicações, a TECNOx 4.0 tem inscrições abertas até 07 de dezembro. A comunidade latino americana de desenvolvedores e usuários de tecnologias livres realizará mais uma edição do evento que já passou por Argentina, México e Chile. O encontro foi organizado pelo Centro de Tecnologia Acadêmica do Instituto de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (CTA IF/UFRGS) e visa articular membros da coletividade que se formou em 2016, composta por cientistas, engenheiros, tecnólogos, estudantes, empresários e membros da sociedade civil, em torno das questões éticas no uso das tecnologias livres e os direitos humanos. Os interessados podem inscrever projetos em andamento ou prontos, que posteriormente farão parte de um livro onde estará editada a documentação oriunda do evento para apreciação dos trabalhos e pesquisas realizados na América Latina e Caribe.

A TECNOX 4.0: ÉTICA, DIREITOS HUMANOS E TECNOLOGIAS LIVRES acontecerá de 11 a 15 de março de 2019, no Centro Cultural da UFRGS, em Porto Alegre.

Mara Cecília, 02 de dezembro de 2018

(por www.rioinformal.com/mara-cecilia/)

Bohemian Rhapsody

O filme Bohemian Rhapsody faz parte de um daqueles casos em que o ator incorpora o personagem de tal forma que a gente não sabe quem é quem. Temos vários exemplos de filmes/biografias com esse perfil, e Rami Malek, o ator americano de origem egípcia que interpreta Freddie Mercury – vocalista da banda Queen –  não foge à regra. Ele se jogou e se transformou no personagem integralmente. O filme é arrebatador, principalmente para aqueles que admiram a banda Queen, que mudou o cenário da música mundial nos anos 70 e que a maravilhosa trilha original embala o espectador durante todo o tempo.

O diretor Bryan Sing fez um trabalho incrível mas o que faz o filme ser tão arrebatador é a edição de imagens; perfeita! Alguns fatos foram contados de maneira diferente do original mas que não altera a genialidade e o talento da banda e, em especial, o de Freddie Mercury, uma figura marcante de voz poderosa e com uma trajetória de vida bastante irreverente. Um pouco de licença poética é normal acontecer nesse tipo de obra e aliás, a escalação dos atores para a banda é bem impressionante; eles são muito parecidos com os músicos verdadeiros.

É um filme para quem gosta de rock’n roll, para quem gosta do Queen e principalmente, para quem gosta de música boa.

As criações de Alberto Sabino são atemporais e diferentes

As criações de Alberto Sabino são atemporais e diferentes. O resultado de suas coleções reflete a personalidade eclética do autor, que tem a liberdade de usar diversos tipos de materiais, de uma maneira muitas vezes inesperada. Assim, pedras podem estar juntas a acrílicos, madeiras, resinas e outros materiais, privilegiando o design e a criação acima de tudo. Suas peças únicas são então chamadas de joias pela imprensa especializada e clientes mais pela exclusividade e acabamento do que, muitas vezes, pela nobreza intrínseca de cada material utilizado. Seu trabalho é reconhecido internacionalmente, e Sabino é um dos designers listados pelo Fashion Model Directory, entre os mais criativos e destacados no mercado

Link para o meu site 

(por www.rioinformal.com/alberto-sabino/)

Scroll Up