Moqueca de frutos do mar com banana d’água.

Esse post é muito legal, pois saiu de uma adaptação, estava na casa de amigos e decidimos fazer uma moqueca com banana da terra, mas não achamos para comprar, então resolvi fazer com banana d’água e foi o maior sucesso, pois a banana d’água se desfaz e deixa a moqueca ainda mais cremosa, ficou muito boa! Segue a receita para vocês se aventurarem e provarem essa delicia. 
Ingredientes:
5 dentes de alho triturado
2 colheres de sopa de dendê 
3 cebolas roxas em meia lua
2 pimentões amarelos em rodelas
2 pimentões vermelhos em rodelas
4 bananas d’água 
600g de tomate pelati
600ml de leite coco
300g de filé de cherne 
300g de lula
300g de camarão
300g de polvo cozido
200g de mexilhão na concha pré cozido
2 cavaquinhas abertas ao meio
Coentro a gosto
sal e pimenta a gosto
Em uma panela refogue todas verduras e adicione a banana em cubos, em seguida coloque os frutos do mar menos o peixe e a cavaquinha adicione o leite de coco e o tomate pelati, sal, pimenta e o coentro misture devagar e deixe cozinhar por 5 minutos, adicione os filés de peixe, cavaquinha com a casca para cima e os mexilhões. deixe cozinhar até a carapaça da cavaquinha ficar na cor laranja. 
Agora é servir com um arroz de coco queimado e uma farofa de cebola com dendê. 
Vai fazer sucesso.
Até a próxima 

(por www.rioinformal.com/Juca Paes Leme/).

Atum Selado

 A ideia hoje é uma receita com execução simples mas que impressiona…
O atum selado é um prato muito apreciado pelo seu visual e sabor maravilhosos!
O segredo para o sucesso nessa receita é a materia prima de alta qualidade resguardando algumas premissas: o peixe deve ser de boa procedência, tendo sua cor em tons avermelhados, medalhões com altura de 3 a 4cm e a crosta deve ter espessura de 1 a 2mm. O peixe ficará cru internamente e a crosta selada, mantendo a carne tenra e hidratada. Para isso, precisaremos de uma chapa (flat) ou uma boa frigideira bem quente. Após atingir a temperatura, colocamos um fio de “óleo”. Eu neste caso, prefiro o óleo de gergelim. Selar os dois lados.
O seu medalhão estará pronto quase que imediatamente, tendo o cuidado para não ultrapassar a espessura indicada da “crosta”. Procure colocar o peixe em temperatura ambiente na chapa.
Para acompanhamento, além de um bom Shoyu, sugiro que fuja um pouco do wasabi tradicional e surpreenda com um mousse!
Ingredientes do mousse:
150g de cream cheese
80g de iogurte natural
Wasabi à gosto, de modo que se sinta o sabor e a essência do wasabi.
Misturar tudo,! batendo em mixer ou liquidificador.
Peixe:
Lombo de atum fresco cortado em medalhões de tamanho médio – entre 130 a 200g (porção por pessoa).
Obs: Sugiro para acompanhamento, uma boa salada de folhas verdes e pupunha.

(por www.rioinformal.com/Marcelo Igrejas/)

ANGU COM RABADA

Outro dia, no programa É DE CASA, O super simpático e querido Zeca Camargo me fez a inesperada pergunta: “O que você sente quando faz angu?” De cara, eu respondi a primeira palavra que me veio, alegria! Depois, passada aquela correria de câmeras, microfone e “luzes câmera e ação”, eu fiquei pensando naquela pergunta…e na resposta. Sim, fazer angu me traz alegria, e essa alegria vem da sensação de pertencimento, de ancestralidade, de uma ancestralidade não sabida, perdida entre continentes…Às vezes ouço as pessoas perguntando assim, mas como se samba, canta, dança no meio de tantos problemas…aí vem a mesma resposta: porquê, é ali, em volta das comidas, da música, da cantoria que nos sentimos “pertencentes” a uma mesma história , a um mesmo lugar que nos conecta e alimenta de afeto.
Esse lugar é uma África enraizada em um Brasil de vários tons, sons …e sabores.

Ingredientes para RABADA

  • 1kg de rabo cortado nas juntas e limpo
  • 1 xícara (chá) de vinagre de vinho tinto
  • 1 colher (sopa) de sal grosso com ervas
  • 1 colher (chá) de cominho em pó
  • Pimenta-do-reino moída a gosto
  • 2 colheres (sopa) de azeite
  • 4 dentes de alho picados
  • 1 cebola picada (160g)
  • 350g de linguiça calabresa cortada em rodelas grossas
  • 3 folhas de louro
  • 1,5 litro de água quente
  • 1 fio de azeite
  • 3 cebolas cortadas em cubos médios (500g)
  • 2 pimentões verdes cortados em tiras pequenas (200g)
  • 4 tomates cortados em 4 partes
  • 2 xícaras (chá) de água quente
  • 3 folhas de louro
  • 2 maços de agrião sem o talo

Modo de Preparo – Molho

  1. Tempere o rabo com vinagre, sal grosso com ervas, cominho e pimenta-do-reino. Reserve.
  2. Em uma panela de pressão em fogo médio, coloque o azeite, o alho, a cebola e refogue. Coloque o rabo temperado, a linguiça, as folhas de louro e refogue por 5 minutos.
  3. Acrescente a água quente, tampe a panela e cozinhe por 1 hora após pegar pressão. Apague o fogo e retire a pressão da panela. Com uma escumadeira, retire o rabo cozido e a linguiça e reserve. Despreze o caldo que se formou.
  4. Em outra panela, coloque o azeite, a cebola, o pimentão verde e refogue por +/- 2 minutos. Adicione o tomate, o rabo cozido, a linguiça cozida e mexa. Junte a água quente, as folhas de louro e deixe cozinhar por mais 10 minutos. Adicione o agrião, misture, apague o fogo e sirva com o angu.
  5. Ingredientes – Angu
  • 500g de fubá
  • 800ml de água fria
  • 3 litros de água fervente
  • 1 colher (sopa) de sal grosso com ervas

Modo de Preparo – Angu

  1. Em uma tigela, coloque a água fria, o fubá e mexa até dissolver.
  2. Numa panela em fogo baixo com a água fervente, adicione o sal grosso com ervas e o fubá dissolvido. Cozinhe por 40 minutos, mexendo de vez em quando. Apague o fogo e sirva.

(por www.rioinformal.com/maria-julia-ferreira/)

Clássicos franceses

Hoje vamos falar de 2 clássicos franceses, a tradicional sopa de cebola e um prato que eu particularmente gosto muito, o steak au poivre. 
Essas duas receita de hoje são um clássico que aprendi a fazer com o Mestre Paul Bocuse. São receitas simples, tradicionais e cheias de sabor.
Vamos as nossas receitas.
Sopa de cebola
Ingredientes para 4 porções:
4 colheres de sopa (60g) de manteiga
4 cebolas descascadas e fatiadas
2 colheres de sopa(20g) de farinha
6 1/3 Xicaras de Beef Bouillon ( caldo de carne) ou água
½ Bisnaga francesa cortada ao meio (tipo sanduiche)
2 xicaras (100g) de queijo gruyere ralado na hora
3 colheres de sopa (30g) de farinha de rosca
Modo de preparo:
Derreta 2 colheres de sopa de manteiga em uma panela grande, adicione as cebolas e doure levemente. Adicione a farinha e mexa. Quando começar a ganhar cor adicione o caldo de carne ou água, mexendo constantemente. Cozinhe em fogo médio destampado por 15 minutos.
Torre o pão e depois corte em fatias grossas.
Pré-aqueça o forno em 200ºC.
Em um recipiente de sopa que possa ir ao forno, coloque 1/3 dos pães. Salpique um pouco do queijo, 2 colheres de manteiga, amolecida, e salpique um pouco de pimenta. Faça 3 camadas dessa maneira e depois despeje a sopa no recipiente, salpique com a farinha de rosca e o restante do queijo, e gratine no forno por 20 minutos ou até que o queijo e a farinha de rosca estejam corados. Sirva imediatamente.Steak au Poivre 
Ingredientes para 4 porções:
2 colheres de sopa (15g) de grãos de pimentas inteiros(brancos e negros)
4 medalhões de filé mignon de 300g cada.
Sal a gosto
2 colheres de sopa de manteiga(30g)
1 colher de chá de dijon
6 colheres de sopa de creme de leite fresco ou  crèmè Fraîche.
 Modo de preparo:
Numa tábua, coloque os grãos de pimenta e triture-os de maneira esparsa, usando um rolo de massa. Tempere os bifes com um pouco de sal e depois passe-os nos grãos de pimenta pressionando-os contra os grãos. Descanse-os por 15 minutos.
Aqueça a manteiga numa frigideira grande até que fiquei muito quente, adicione os medalhões e cozinhe no fogo alto de 5 a 6 min cada lado.
Depois que os bifes estiverem prontos, remova os bifes e separe. Com a frigideira fora do fogo, adicione a dijon, e o creme, mexendo e raspando o fundo da frigideira para dissolver os sucos da carne. Volte com a frigideira para o fogo só o suficiente para esquentar o molho, não deixe ferver.
Se necessário adicione um pouco de sal.
Derrame sobre os bifes e sirva, acompanhado de batatas sautée.

(por www.rioinformal.com/Juca Paes Leme/).

Buenas!… Pesto de Pinhão

 Quem resiste a uma boa massa no inverno? Por isso, minha dica de hoje é um toque especial a qualquer boa pasta: molho pesto! De criação italiana, originário de Gênova – na Ligúria -, norte da Itália, sua receita é fácil e tradicional, e o mistério para se fazer o melhor pesto é usar ingredientes frescos e de ótima qualidade. A receita tradicional usa queijo parmigiano reggiano, ou pecorino, e pinoli – as sementes do pinheiro europeu (ingrediente caro aqui no Brasil). A opção para substituir este último, e que gosto de usar em minhas receitas, é o pinhão. Meu sogro tem uma casa em Visconde de Mauá, região rica neste insumo e que promove um festival gastronômico anual muito interessante! Consigo então o fornecimento dele ao natural e orgânico, um suprassumo!
Vale a pena ter sempre um vidro de pesto na geladeira para acompanhar massas, saladas, peixes e até mesmo palitinhos vegetais para servir como antepasto.
Segue a receita:

PESTO DE PINHÃO

– 50g de Manjericão (folhas).
– 02 dentes de alho descascados.
– 01 xícara de Azeite extra virgem.
– 50g de pinhão (cozidos e descascados).
– 70g de queijo Pecorino ou Parmesão ralado.
– Sal a gosto.

Modo de preparo:
1- Acrescente todos os ingredientes no liquidificador ou processador e bata até que fique homogêneo. Obs.: Acrescente o manjericão por último.

– Tempere com um pouco de pimenta do reino, e conserve refrigerado em um vidro esterilizado.

(por www.rioinformal.com/Marcelo Igrejas/)

Felipe Ventura Sommelier, harmoniza a “sopa de cebola” e o “steak ao poivre” do Chef Juca Paes Leme

Esta semana, despretensiosamente harmonizarei duas receitas do chef Juca Paes Leme, que tem o prazer de comandar a cozinha de um lindo restaurante em Fernando de Noronha. Os desafios são clássicos franceses: uma sopa de cebola e um Steak au Poivre.

A sopa de cebola é muito tradicional na França e, no passado, acalentava pobres e reis de toda Europa. Com essa receita, o papel do vinho é equalizar a doçura da cebola e a gordura do queijo. Nesse contexto gastronômico, sugiro os vinhos brancos ricos em acidez. Mas, particularmente indico uma pérola chilena: o Talinay Sauvignon Blanc, produzido na Região do Vale de Limarí, o vinhedo fica a 12 Km do mar, com as particularidades do solo calcário, onde se extraem elegantes notas minerais e um frescor incrível. No nariz, notas cítricas, florais e minerais. Em boca, bom ataque, persistente, fresco e deixa a boca limpa. Espero que esse casamento perdure até que o último gole os separem. Salud 🍷

O segundo prato é o clássico adorado por todos: Steak au Poivre. A partir do molho bastante untuoso e intenso, elaborado com mostarda, creme de leite e pimenta, penso em um vinho da mesma intensidade e concluo que a harmonização perfeita se dará com o premiado vinho 700 Andes Plateau 2014, elaborado com uvas Cabernet Sauvignon, Syrah, Cabernet Franc e Carignan. É um vinho estilo boutique. Os vinhedos são pequenos e ficam acima de 700 metros de altitude, o que confere a esta obra de arte um estilo europeu, super gastronômico, com aromas de framboesa, cassis, especiarias como pimenta negra e cravo, além de flores e tabaco. Em boca, taninos macios, frescos, final longo e persistente. Um verdadeiro eclipse de sabores. Espero que desfrutem e gostem desse espetáculo que une os dotes da natureza aos talentos de homens como Felipe Uribe e Juca Paes Leme. Salud🍷

http://www.arydelicatessen.com.br/p22686-vinho-tabali-talinay-sauvignon-blanc-2014-94-descorchados
http://www.arydelicatessen.com.br/p77809-vinho-andes-plateau-700-2014-caixa-6-garrafas-96-descorchados

(por www.rioinformal.com/felipe-gabriel-ventura/)

Horta caseira

O texto de hoje é particularmente especial para mim, pois fala de um assunto pelo qual me interesso muito: hortas caseiras.

 

Em meu restaurante, o Maria da Toca, por ter uma proposta intimista e exclusiva, pois está localizado no mesmo terreno onde moro, faz com que eu busque para os clientes todas as alternativas possíveis do uso de produtos feitos e pescados por mim. Não seria diferente nos temperos e ervas, os quais são amplamente usados em meus pratos. Tenho para mim que comemos não apenas com a boca… antes apreciamos com os olhos e com o olfato.

Em minha horta, ainda pequena e longe de ser o que almejo, possuo ervas e temperos diversos. Além de  usá-los na comida, muitas vezes, ao cuidar do meu pequeno jardim degustativo, me inspiro para tentar novas receitas e sabores!.Uma boa dica para quem quer iniciar uma horta é pesquisar o que gostaria de plantar e,

dependendo do espaço, executar seu projeto vertical ou horizontal usando materiais prontos, como caixas e vasos (no chão, em um belo aparador ou até mesmo preso a suportes em painéis de madeira sustentável ou reciclada). Há também versões em um único vaso com espécies diversas. O que vale é a criatividade e a vontade de saborear temperos frescos e plantados por você!

(por www.rioinformal.com/Marcelo Igrejas/)

O Sommelier Felipe Ventura harmoniza o “polvo na brasa” do Chef Marcelo Igrejas

Felipe Ventura: Vinhos, Cervejas e Drinks

Essa semana, tivemos a honra de selecionar um vinho para harmonizar com o prato do Chef Marcelo Igrejas.

Marcelo Igrejas: Vamos Cozinhar?

Os elementos utilizados por ele são: polvo, azeite, tomilho, entre outros. O preparo é finalizado na brasa. 

Quando acabei de ler essa receita me encheu a boca d’água e imediatamente me recordei de um belo vinho Francês da região de Sancerre, no Val de Loire, que na minha humilde opinião, produzem alguns dos melhores Sauvignon Blanc do mundo. 

Para harmonizar com esse prato, escolhi o Sancerre do produtor Gitton, com quem tive o imenso prazer de bebericar nos deliciosos pubs de Bordeaux. O vinho no nariz tem elegantes notas cítricas, flores, ervas. Em boca, além de lembrar o nariz, possui notas minerais, é volumoso e fresco deixando a boca limpa.

O Polvo na brasa

Penso que essa obra de arte vínica, andará de mãos dadas com essa deliciosa receita.

O Sancerre

Santé 🍷

www.arydelicatessen..com.br

(por www.rioinformal.com/felipe-gabriel-ventura/)

Mexilhão com batata frita ou Moules Frites

Bom, hoje vamos falar um pouco sobre a Bélgica já que é nossa adversária no próximo jogo da copa.
A Bélgica é muito famosa pelo seus chocolates, cervejas e sua batata frita, então vou passar uma recita simples e muito gostosa.
Mexilhão com batata frita ou Moules Frites:

 

Ingredientes:
– 1 Cebola Picada;
– Manteiga;
– Azeite;
– 2 Kgs de Mexilhões Limpos;
– Vinho Branco Seco;
– 2 colheres de sopa de Crème Fraîche;
– Coentro Picado;
– Sal;
Modo de preparo:
1. Numa panela grande refogar a cebola com um pouco de azeite e manteiga;
2. Adicionar os mexilhões e temperar com os outros ingredientes. Deixar cozinhar, mexendo de vez em quando, até os mexilhões ficarem abertos.
3. Servir com Batatas Fritas em Palito.
A dica é comer esse prato na companhia de amigos e com uma cerveja belga bem gelada.
Até a próxima!

(por www.rioinformal.com/Juca Paes Leme/).

Scroll Up