Sem título

INTERPRETAÇÃO DE SONHO

E se você seguir o beija flor
verá que nada em sua vida
é sem graça

voa
namora a flor
dança balé
rodopia
dia a dia
sempre a beijar

pois bem:
e eu me pergunto
no que será que ele pensa
quando está a cortejar
e namorar o jardim?

parece que nem se lembra
de que já sorriu
pra mim

Parece que já nem sabe
de que cor
é a flor

de mim

Eliana Mora, 18/05/2016

DIS DIÁLOGOS DE CATUNDA: Novos diálogos com Antonio Gutman e Cara ou Coroa (MINIPEÇA)

Novos diálogos com Antonio Gutman

C: O que é que tinha lá,
na latinha?

G: posso enlatar carne enlatada.
I can can canned meat.

C: Com a caneta anoto o canino cânone do opus de Canopus.
Um peru do Perú comeu uma turquesa e se transformou na Turquia.

G: o turco faz truques com o Duque e a Duquesa.

C: Educar alho?
É truculento!

G: ESTUDO
EIS TUDO.

C: Eis tucupi, estúpido Cupido tupi.

G: o tiro saiu pela culatra
e atingiu a cultura.
Tupi
or not tupi
tupiniquim

C: Um tira atira no tirocínio:
Culturicídio.

G: qualquer cídio
é uma city
insensível.

C: Leve o penico para o picnic.

G: um pico
no nico.
alguém vai pagar mico!

C: O Kung Fu Xico.

G: King Kong.
o Kung Fu da floresta.

C: O Símio-símbolo heróico do império setentrional.

G: o macaco não se manca,
só monkey!

C: O atazanado Tarzan só trabalha de macacão.

G: boy and Jane
Jane and boy
o mundo do Tarzan
na áfrica do weissmuller.

C: O Weissmuller tem a ver com o ex-mulher?

G: tem a ver com a ex-posa!

C: Falam de paradoxo, paranóia parapsicologia parafarmácia, paraleleípedo, Pará, Paraná, Paraíba, Parangaba, Parati, Paralamas,parafuso, parachoque, paroxismo. Só não falam do paraíso.
Quem vai parar com essa parafernália infernal?

G: paraíso?
para com isso
prefiro a parnasiana
ou a marciana
e escolher o par ideal
para me fazer feliz
aqui ou no inferno astral!

C: Santo Antônio casamenteiro
é patrono dos Antônios
do Baixo Copa.

G: São Catunda, protetor dos amigos e dos poetas.

C: Não protrejo.
Quem potreje é o potro.
E é de burro e jumento
que precisamos.
Não de cavá-lo.

G: a covinha dela
me convinha.

C: Com o vento, vá lá,
na vala do convento.

Cara ou Coroa (MINIPEÇA)

Coroa: você está sempre do lado oposto.
Cara: tudo é relativo.
Coroa: a rainha não me tira da cabeça.
Cara: monarquias e balzaquianas andam sem prestígio.
Coroa: sem mim, a moeda não teria casta nem lastro.
Cara: as revoluções que o digam.
Coroa: não sejas descarada.
Cara: invejas o meu carisma.
Coroa: quando nos jogam para cima, você fica sempre por baixo.
Cara: coronela de província.
Coroa: carambola despencada.
Cara: chumbo de dentista.
Coroa: carona de lotação.
Cara: os caras estão de olho em mim.
Coroa: o Czar se sentia em Roma, quando me embolsava.
Cara: só o mendigo nos aprecia, quando nos encontra na calçada.
Coroa: o ladrão é um bígamo que mata por nós.
Cara: o Banco Central é um cínico que nos usa na usura.
Coroa: somos a tentação dos corruptos, que vivem e morrem por nós.
Cara: os falsários nos acham fáceis.
Coroa: éramos ouro e prata, agora não passamos de níqueis.
Cara: pra eles, nunca passamos de patacas.
Coroa: vamos nos unir, quem sabe valeremos uma medalha.
Cara: Eles nos pagam.

(por www.rioinformal.com/marcio-catunda/)

Sol em Sagitário: tempo de se aventurar

A Astrologia está ligada ao tempo mas, para além de uma mera contagem, considera suas qualidades e significados. Norbert Elias, em sua obra “Sobre o Tempo”, o descreve como algo que não se pode tocar, ver, ouvir, nem mesmo sentir o gosto e o cheiro. Sendo algo não perceptível aos sentidos, mesmo assim é utilizado como meio de orientação para nós, que estamos inseridos numa sucessão de processos físicos e sociais. Daí a importância de podermos identificar e entender seu desenrolar nessa junção daquilo que não muda – o arquétipo, a essência, o fundamento – com o que muda constantemente e irrevogavelmente – os acontecimentos, o correr da vida. Em dezembro, até o dia 22, a qualidade deste tempo chama-se Sagitário, ou seja, o Sol está no signo tropical de Sagitário. Os outros planetas, de Mercúrio a Plutão, estão em outros signos, mas o Sol é a nossa estrela e é ele que nos inscreve de forma prioritária nesta cadência de qualidades que é o zodíaco, cujos ritmos evoluem durante o ano. Sendo o Zodíaco um repositório de situações da vida humana, a cada signo uma vivência fundamental vem ser lembrada, estimulada por seu arquétipo, para que seja posto em prática e implementado mais uma vez. Sagitário é um signo do elemento Fogo, expansivo e seu símbolo – um centauro apontando uma flecha para o infinito – nos ajuda a entender seu significado.  Meio animal e meio humano, mostra sua forte ligação com a terra e a matéria, mas deixa muito claro que seu objetivo é expansionista, mirando o arco para as estrelas, no intuito evidente de se lançar em aventuras, aprender mais, ir além das fronteiras conhecidas. Essa tendência do signo molda os nativos mais afeiçoados a viagens, a colocar os pés na estrada, para conhecer outras culturas e adquirir novos conhecimentos.

Sagitário sendo um princípio que reflete confiança na vida e entusiasmo, nada com os sagitarianos fica por pouco ou por menos – ao contrário, seus projetos são sempre grandiosos, preferindo pensar grande. Para eles a prosperidade é uma condição plenamente alcançável e, se alguma coisa não sai bem, seu ponto de vista é de que o dia seguinte será sempre melhor. Desse modo, são dotados de espírito realizador e empreendedor, acreditando no que fazem e contagiando favoravelmente os outros a sua volta. Muitos sagitarianos são homens que acreditaram numa idéia ou num projeto e, quando outros desistiriam facilmente, de algum modo se agarraram em sua fé e otimismo para levá-las adiante, acabando bem sucedidos.  Em sua sede por crescer e alcançar condições mais abrangentes, são entusiastas em viagens e no contato com culturas e conhecimentos diferentes. Seu impulso básico visa sempre ir além e ampliar os horizontes.

Assim, a época de Sagitário vibra de um modo geral com este clima de crescimento e desenvolvimento em âmbito coletivo, proporcionando um período favorável para ir além do que conhecemos, nos lançando em realizações de novos empreendimentos.

SIGNO DE SAGITÁRIO:

Planeta regente: Júpiter

Período: 22 nov a 22 dez

Elemento: Fogo

No corpo humano Sagitário rege: fígado, quadris, pernas, plasma sanguíneo

Palavras-chave: alvo, direção, meta, aventura, prêmio, velocidade, expansão, otimismo, sorte, conhecimento, prosperidade, crença

Símbolos: a flecha, o centauro

Cores: púrpura

Pedras: turquesa, topázio

Metal: estanho

Plantas: aspargos, noz-moscada, malva, castanheiro, morango, cana-de-açúcar

Flores: cravo, margarida, jacinto

Perfume: cedro, sândalo, pinho

Ervas: cravo-da-índia, eucalipto, eufrásia

Aromas: violeta e jasmim

Relacionamento: mais fluente com Leão e Áries, Libra e Aquário

Sagitarianos famosos: Britney Spears, Angélica, Silvio Santos, Joãozinho Trinta, Walt Disney, Emmerson Fitipaldi, Brad Pitt, Luma de Oliveira, Roberto Marinho, Oscar Niemeyer, Dilma Roussef

Em 03/12/2019

Angela Nunes

(por www.rioinformal.com/angela-nunes)

A vida Invisível

(Por Teresa Souza) O livro de Martha Batalha, A vida invisível de Eurídice Gusmão, transformou-se em uma livre adaptação no filme de Karim Ainöuz, A Vida Invisível. Em um cenário do Rio de Janeiro nos anos 50, a história das duas irmãs – Eurídice e Guida – que tem suas vidas separadas por conta da intolerância dos pais, nos é contada através das cartas trocadas entre as duas. Mulheres fortes que se apagaram ou se reconstruíram com os percalços da vida. O filme ganhou o prêmio da Mostra Um Certo Olhar, no Festival de Cannes desse ano e será o representante do Brasil para filme estrangeiro, buscando uma vaga no Oscar.

Karim é um diretor sensível quando se trata do ser humano – basta dar uma olhada em sua vasta e linda filmografia. Dessa vez temos um melodrama com muita textura em suas imagens e muito sentimento. Carol Duarte e Julia Stockler estão incríveis e a emoção aumenta com a entrada em cena de Fernanda Montenegro. Não percam.

(por https://rioinformal.com/teresa-souza/)

OBRA DE ARTE E TEXTOS

A via do sonho é quase sempre colorida. Pode ser de muitos tipos de material, ou deslocamento. Trem, bicicleta, estrela cadente, barquinho. Aí você resolve como vai chegar aí nesta ilha, praia, lugar. O pintor convidou. Você pode já estar por lá [agora]. E viver aquele instante que na realidade, agora pelo menos, não há como. Fica o convite [dele] para te receber.[Eliana Mora, El,  02/12/17]

Art_Albert-Bierstadt

Sem título

UMA SUGESTÃO

Leia.
Leia por dentro de ti
em cada entrelinha
em cada pedaço de escada
que dá para o alto de todo jardim

Leia.
Descubra
teu mais famoso poema
que está ali rabiscado, escondido
em tuas quase certezas

Leia.
Convide-se a ler a si.
.
[quanta alegria te espera]
.

Eliana Mora, 15/11/2018

Maria de Caritó

A diversidade do cinema brasileiro é algo que nos engrandece com personagens tão queridos do nosso Brasil. Maria do Caritó, de João Paulo Jabur, interpretado magistralmente por Lília Cabral é um exemplo de um filme alegre, colorido, divertido e que emociona. 

Em uma pequena cidade do Nordeste, envolta em religiosidade, pureza, o mundo do circo e a solidão de um companheiro, Maria de Caritó nos conquista com um filme popular em sua busca por um grande amor. Ela completou 50 anos e continua virgem e prometida para São Djalminha. A trilha sonora, o figurino, a direção de arte e um elenco com destaque para Juliana Carneiro da Cunha e Kelzy Ecard, nos faz acreditar que fábulas existem.

(por https://rioinformal.com/teresa-souza/)

PULSAÇÃO E CERTEZA

A milhões de anos luz daqui
encontrarei o meu lugar
onde minha voz
livre
possa expressar tudo o que sinto
dia a dia
enquanto a vida
pulsar
e alegre
pousar
.
sobre mim


Eliana Mora, 11/11/19

.

Foi inaugurado em 5/11, por iniciativa de Cacá Diegues, o Cine Academia Nelson Pereira dos Santos

Foi inaugurado em 5/11, por iniciativa de Cacá Diegues, o Cine Academia Nelson Pereira dos Santos. Em uma ação conjunta da Academia Brasileira de Letras – ABL, da Cinemateca do MAM e do Espaço Itaú de Cinema será possível assistir filmes clássicos do cinema brasileiro em toda primeira terça-feira do mês, sempre às 18 horas.

Limite, de Mario Peixoto, de 1931, foi o escolhido para a abertura do Cine Clube. Após o filme um debate com o pesquisador Hernani Heffner, o presidente da ABL Marcos Lucchesi e o cineasta Walter Salles. 
E como disse Cacá, durante o discurso de abertura, Mario Peixoto deve ter sido o primeiro modernista brasileiro.

É um lindo filme e eu nunca vi nada mais moderno nas imagens, nos closes, na textura em tudo. Uma trilha sonora deslumbrante do norueguês Bugge Wesseltoft, que nos embala durante toda essa viagem de imagens. Sempre tive vontade de assistir Limite, o mais falado clássico do cinema brasileiro, e ontem realizei esse desejo graças ao hercúleo esforço em conjunto para o restauro da cópia.
E viva o Cinema Brasileiro!

(por https://rioinformal.com/teresa-souza/)

Buonasera no Reserva Cultural Niterói. Arancini 4 queijos e gnocchi de cordeiro, delícias do cheff Juca Paes Leme. (por Rio Informal)

A Cantina Buonasera estava presente no encontro de gastronomia promovido pela Reserva Cultural de Niterói. Proprietários e o Cheff Juca Paes Leme prepararam algumas delícias como os avancinis a 4 queijos e o gnocchi de cordeiro. Quem experimentou vai voltar correndo pra Cantina e quem não experimentou não sabe o que está perdendo…
Chega lá… no 34 da Estrada Leopoldo Fróes em Niterói. Ganhe uma surpresa do Cheff dizendo que leu este post aqui  na Rio Informal…
(visite www.rioinformal.com/Juca Paes Leme/).

 

Scroll Up